ser emocional

O alívio da alegria em sermos espontâneos, livres, sem agendas, números, dados ou lógica aparente. O equilíbrio entre exato e acaso, e a importância de apenas sentir, quebrando a rigidez de um controle por vezes ditatório. De ousadia em ousadia, se transforma todo o entorno, em busca de leveza. Apropriar-se do corpo, do natural. Pessoas frequentemente questionando o por quê de tudo precisar ser medido, simétrico, calculado, padronizado. A alteração do olhar para a beleza do imperfeito, para a ordem no caos.

ser racional

A nossa necessidade por controlar o meio em que estamos inseridos, desempenhos e riscos. Informações sobre tudo e todos estão à disposição. Formas de categorizar o que é real, mensurável, honesto. O que é de qualidade, ou importante. Estamos estabelecendo novos parâmetros e atingindo novas metas, sejam elas individuais ou coletivas, para pessoas ou marcas. A busca pela perfeição anteriormente inalcançável.

Menu